Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Mata à vassourada e apanha 16 anos

"Foi um crime violentíssimo. É difícil encontrar palavras para descrever um crime desta natureza", disse ontem, no final da leitura do acórdão, o presidente do colectivo de juízes do Tribunal de Valença, que condenou a 16 anos de cadeia Fernando Amaral, de 44 anos, que assassinou à vassourada Manuel dos Santos, de 63. Apesar de considerar que houve um "carácter sentimental" no homicídio, o tribunal não deu como provado que os dois homens mantinham uma relação homossexual.

"Vai ter muito tempo para pensar no crime hediondo que cometeu", referiu o juiz, dirigindo-se ao homicida confesso de Manuel dos Santos.

O crime aconteceu a 3 de Agosto do ano passado, no interior da residência onde Fernando Amaral vivia, em Arão, freguesia de Valença.

Os dois homens, que passaram todo o dia a beber entre Valença e Tui, em Espanha, envolveram-se numa discussão, depois de Fernando se ter recusado a manter relações sexuais com Manuel.

"Ele queria obrigar-me a ter relações sexuais e eu não aceitei. Fiquei nervoso e dei-lhe com a vassoura, mas foi para me defender, não era para o matar", confirmou o arguido em julgamento.

Ontem, o Tribunal de Valença deu como provado que Fernando Amaral espetou na boca de Manuel dos Santos parte do cabo de uma vassoura, depois de o ter agredido violentamente com o mesmo objecto. O colectivo considerou ainda provado que o homicida viu o amigo a agonizar durante duas horas e que, depois de este morrer, saiu de casa para ir a um café beber uma cerveja.

Fonte: Correio da Manhã, 01.06.2011

Sem comentários:

Enviar um comentário